domingo, setembro 04, 2005

Cativa-me!



- Não - disse o principezinho. - Ando à procura de amigos. "Cativar" quer dizer o quê?
- É uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. - Quer dizer "criar laços"...
- Criar laços?
- Sim, laços - disse a raposa. - Ora vê: por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. Tu também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...

(...)

Mas, se tu me cativares, a minha vida fica cheia de sol. Fico a conhecer uns passos diferentes de todos os outros passos. Os outros passos fazem-me fugir para debaixo da terra. Os teus hão-de chamar-me para fora da toca, como uma música.

(...)

- Se fazes favor... Cativa-me!

(...)

- Adeus - despediu-se a raposa. - Agora vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos...

Antoine de Saint-Exupéry, O Principezinho

3 Comments:

Blogger M said...

O meu livro preferido ... obrigado pela "viagem".

7:10 da tarde  
Blogger Rebuçado de Funcho said...

É também o meu livro preferido. :)

9:16 da manhã  
Blogger Rui @t Blog said...

História bem escolhida. Gostei.

10:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Number of online users in last 3 minutes


referer referrer referers referrers http_referer

Locations of visitors to this page