sexta-feira, agosto 24, 2007

Esta ilha que há em mim...



Esta ilha que há em mim
E que em ilha me transforma
Perdida num mar sem fim
Perdida dentro de mim
Tem da minha ilha a forma

Esta lava incandescente
Derramada no meu peito
Faz de mim um ser diferente
Tenho do mar a semente
Da saudade tenho o jeito

Trago no corpo a mornaça
Das brumas e nevoeiros
Há uma nuvem que ameaça
Desfazer-se em aguaceiros
Nestes meus olhos de garça

Neste beco sem saída
Onde o meu coração mora
Oiço sons da despedida
Vejo sinais de partida
Mas teimo em não ir embora

Dulce Pontes, Caminhos

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Gostei muito do teu blog. Eu estava prcurando alguma coisa da Cecília Meireles, eu acho, quando o encontrei. Pretendo voltar mais vezes, se não se importa. É que você tem um ótimo gosto pra poemas!

1:10 da manhã  
Blogger K@limero said...

Excelente...já percorro os teus post ha algum tempo e normalmente perco-me aqui...muito bom

11:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Number of online users in last 3 minutes


referer referrer referers referrers http_referer

Locations of visitors to this page