sexta-feira, abril 01, 2005

Charneca em flor


Posted by Hello
Enche o meu peito, num encanto mago,
O frémito das coisas dolorosas...
Sob as urzes queimadas nascem rosas...
Nos meus olhos as lágrimas apago...

Anseio! Asas abertas! O que trago
Em mim? Eu oiço bocas silenciosas
Murmurar-me as palavras misteriosas
Que perturbam meu ser como um afago!

E, nesta febre ansiosa que me invade,
Dispo a minha mortalha, o meu bruel,
E já não sou, Amor, Soror Saudade...

Olhos a arder em êxtases de amor,
Boca a saber a sol, a fruto, a mel:
Sou a charneca rude a abrir em flor!

Florbela Espanca

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Há muita coisa da Florbela Espanca que não gosto muito,esta sim...e da imagem,sou do mar,muito, mas gosto do campo...lembrei-me que é uma das razões porque gosto de ilhas,dos Açores,por exemplo e doutras,não nacionais...se calhar é da harmonia,sei lá!
beijo
Ana

10:39 da tarde  
Blogger snowshoe said...

Bem, e não é que adoro Florbela Espanca? É verdade, adoro ler os poemas dela! E este é muito bonito. Beijinho!

12:14 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Number of online users in last 3 minutes


referer referrer referers referrers http_referer

Locations of visitors to this page